• Banner interno

WhatsApp_Image_2020-03-24_at_173219.jpeg

Por que Ir. Mary veio?

“Porventura o mais fecundo a perguntar, quando nossos amigos morrem, não é: ‘Por que é que eles partiram?’. O que levaremos o resto da vida para responder, sempre em total gratidão, é antes: ‘Por que é que eles vieram?’” (José Tolentino).


Hoje, alguém afirmou; “Ir. Mary foi uma estrela que indicou o caminho para tanta gente”. Pensei: foi para isto mesmo que ela veio!


Do que sei, sua família lhe deu bases humanas e cristãs luminosas: refinada educação, nobreza de caráter, amor à arte, espírito de liderança, determinação, criatividade e um coração de sensibilidade infinita.


A Congregação Religiosa das Missionárias de Jesus Crucificado, cujo carisma é ser presença no meio do povo, na prática da mansidão com doçura e firmeza, intensificou em Mary tal luminosidade. Aproveitou seus talentos, confiou-lhe cargos de responsabilidade e destinou-a à diocese de Osasco. Ali ela brilhou na pastoral e, intensamente, por muitos anos, irradiou luz e apontou caminhos para a catequese de todo o Brasil e além, com inúmeros livros, subsídios e assessorias, sempre preocupada em aliar qualidade e simplicidade.

Se é verdade que “os amigos nos tornam herdeiros”, nós da equipe ECOando somos donos de um tesouro. Partilhamos com os catequistas do Norte ao Sul do Brasil de um legado comum e ainda temos o privilégio de dar continuidade à pupila dos olhos da Mary, a Revista ECOando.

Em 1998, não titubeou em aceitar o convite da Editora Paulus para coordenar um projeto de formação interativa com catequistas - folhetos simples, populares – batizado de ECOando. Mesmo de natureza autônoma e independente, Mary não procurava brilhar sozinha, sabia envolver muitas pessoas na sua ação. Assim, ela nos tornou herdeiras(os).

Vou levar o resto da vida para responder por que Ir. Mary Donzellini veio, tamanha é minha dívida e gratidão para com esta querida amiga, que agora celebra e goza do mistério que sempre, ao longo da vida, fez ecoar com sua vida e ação.


Tenho certeza de que isto acontecerá com muitos e muitas a quem ela “viu, sentiu compaixão e cuidou” com suas atenções, interesse e carinho e contagiou com o vírus do amor e da misericórdia.


Mary, como estrela amiga, desaparecendo aos nossos olhos e se encontrando com a Luz infinita de Deus, interceda por nós e nos fortaleça neste bonito caminho da catequese. Se na sua luz nós pudemos ver a LUZ, continue a nos iluminar, proteger e a nos conduzir à bondade de Deus, porque a luz da sua estrela não está se interrompendo, mas adquirindo pleno brilho.


Com carinho,


Marlene Maria Silva e Equipe ECOando
24 de março de 2020