sinais.png

Catequese na diversidade é o nome dado ao trabalho catequético feito com pessoas com necessidades educacionais especiais. Essas pessoas são: portadores de deficiências, surdos, cegos, superdotados, múltiplos deficientes, portadores de condutas típicas (hiperativos) e outros.           

Também é conhecida como catequese especial, para excepcionais, ou diferencial. As maiores dificuldades na realização desse trabalho são o preconceito e a falta de acolhida.

-O preconceito:           

Infelizmente, é algo muito antigo na humanidade. Até mesmo entre o povo da Bíblia houve atitudes e comportamentos preconceituosos a respeito dos portadores de deficiências.          

Muitos acreditavam que a diferença era um castigo por desobediência a Deus (Dt 28,028-29) e excluíam tais pessoas do convívio social.           

Jesus questiona essa crença e a postura das autoridades religiosas que justificavam suas práticas de preconceito com a tradição (Jo 9,01-3). Ele deixa claro que sua proposta de vida está voltada para os excluídos, as vítimas dos preconceitos instituídos pelos donos do poder (Lc 4, 14-21)

-A falta de acolhida:

Esse problema afeta não só, mas principalmente aqueles que têm necessidades educacionais especiais. A catequese precisa estar atenta para não deixar esses irmãos e irmãs à margem, impedidos de fazer a experiência do ressuscitado em comunidade. 

Para que isso não aconteça, é importante refletir com nossa família, amigos ou no grupo de catequistas. Nossas atitudes, comentários e comportamentos discriminam ou desvalorizam alguém (ou grupo)? 

Refletir com a comunidade: estão sendo bem acolhidas as pessoas que nos procuram, para as celebrações, para pedir informações ou para fazer parte de algum grupo ou pastoral? Como fazer para que se sintam em sua própria casa? 

Saber respeitar as diferenças entre as pessoas e aprender com elas enriquece a vida da comunidade. 

Que lugar as pessoas portadoras de deficiência ocupam nas comunidades?

Dom Juventino Kestering

In: Livro Catequese de A a Z