• Banner interno

poemaago2014.jpg

 

Se tens um elogio a proferir,
é tempo agora.
Não aguardes que o vento da morte
desvaneça da areia da vida
o nome que o merece.

Se há um agravo pungente a perdoar,
é tempo, é hora.

O mais fundo rancor não resiste
a um apelo de braços abertos.

Helena Kolody
In Sinfonia da Vida