• Banner interno

ceu.jpg

Brasília - DF, 27 de agosto de 2020.

Caríssimos (as) Catequistas do Brasil


Mais uma vez estamos a celebrar o Dia do (a) e da Catequista. E outra vez tenho a alegria de lhe manifestar, em nome da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, a gratidão da Igreja por sua vocação, por seu serviço, por seu ministério, por sua fé partilhada. Talvez nunca sejamos suficientemente gratos àqueles (as) que oferecem do seu tempo, dos seus afetos, dos seus dons, para partilhar com os (as) catequizandos (as) a fé que receberam e os encantos da amizade com Jesus Cristo.


O tempo lhe ensinou, querido (a) Catequista, que a Catequese não é apenas uma função a desempenhar. Para apresentar certas verdades parece bastar competência pedagógica. Mas quando se trata de apresentar uma pessoa, mais ainda, quando se trata de transmitir o amor de alguém, então é preciso muita intimidade. Intimidade com o Senhor Jesus e afeição aos catequizandos. Com o Senhor se trata de Vocação. Com os catequizandos se trata de Missão. Nestas duas realidades o Espírito Santo esteve lá.

Recorda de sua experiência vocacional? Nestes tempos de pandemia sentiu saudades deles, os catequizandos? O Espírito Santo continua a lhe “inquietar” o coração. Ele é capaz de tornar fecundas até as lágrimas que a missão suscita.


Com muito respeito e afeto quero lhe recomendar muito zelo por sua espiritualidade. A “Catequista de Nazaré” pode lhe ajudar muito a compreender que catequese não é apenas um modo de fazer. É, antes, um modo de ser. De fato, Catequese não é possível sem a ação do Espírito Santo. Técnicas pedagógicas, personalidades cativantes nunca substituem o “mestre interior”, o Espírito de Deus. Por isso mesmo gostaria de enfatizar: seja orante. Seja orante servindo-se da Palavra. E suas palavras serão pronúncia viva da ternura de Deus pelos seus catequizandos.


Termino dizendo-lhe, mais uma vez, que o episcopado brasileiro louva a Deus pelos (as) Catequistas deste nosso Brasil. Até o seu silêncio orante faz ecoar da voz do Senhor.


Com muito carinho,


Dom José Antônio Peruzzo
Arcebispo de Curitiba - PR
Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a
Animação Bíblico-Catequética