• Banner interno

 

Para rezar e meditar com o grupo de Catequistas.

(providenciar um pequeno presépio e colocá-lo no centro da sala)

1. Saborear a Ternura de Deus

Com.: Mais um ano se passou e outro já se anuncia. Viajamos por desertos de dores, solidão, angústias, medos, mas também por oásis de alegrias, realizações, amizades, amores, na labuta diária da vida. Trazemos as marcas dessa “viagem”, poeiras e cansaços... 

D: Mas, um Menino nos foi dado! Surge a esperança de que tudo pode ser modificado, de que o Novo pode irromper. 

Todos: E a Ternura  se fez criança e viveu entre nós! 

D: “O povo que andava nas trevas viu uma grande luz...”

                                     (acendem-se as velas)

Natividade - CongoNatividade - CongoTodos: “Glória a Deus nas alturas, e paz na terra entre homens e mulheres a quem Ele quer bem”.

2. Saborear a Suavidade do Senhor

L1: “Havia naquela região pastores que passavam a noite nos campos, tomando conta do rebanho. Um anjo do Senhor lhes apareceu, e a glória do Senhor os envolveu de luz. Os pastores ficaram com muito medo. O anjo então lhes disse: “Não tenhais medo! Eu vos anuncio uma grande alegria, que será também a de todo o povo: hoje, na cidade de Davi, nasceu para vós o Salvador, que é o Cristo Senhor! E isto vos servirá de sinal: encontrareis um recém-nascido, envolto em faixas e deitado numa manjedoura”. 

Todos: “Glória a Deus nas alturas, e paz na terra entre homens e mulheres a quem Ele quer bem”.

Com.: No presépio, a “criança” tem um brilho especial. Ao redor do Menino-Jesus se cria uma ordem mágica, um centro luminoso que irradia sobre todas as coisas constituindo um todo coerente e significativo. A vida com suas contradições, é iluminada pela luz que se irradia do Presépio.

(convidar a lembrar a vida, projetos, sonhos, angústias, medos, contradições... o que precisa ser iluminado pelo Menino...)

3. Saborear a fragilidade e a pequenez como plenitude

Com.: No Natal, por causa da Divina Criança, nos é permitido esquecer as amarras e os erros cometidos para sentirmo-nos livres para começar de novo. Os sonhos escondidos e nunca realizados podem vir à tona e ser de novo alimentados. Podemos aliviar um pouco o peso do próprio passado e formular um bom propósito.             

D: Querido Deus, Luz de nossas vidas. Acreditamos que é possível começar de novo e, mais que isso, queremos nascer de novo. Inspirados pelo Teu Filho, nosso Menino Jesus, podemos arriscar o primeiro passo ou inaugurar um outro olhar sobre o caminho já andado e nele descobrir novo significado... Queremos costurar nossos sonhos no sonho do Teu Menino: um mundo novo, cheio de amor e paz.     

 (Estendendo a mão direita colocam-se no presépio os sonhos, esperanças, desejos... )

Todos: Deus de ternura e bondade, que assumindo nossa carne no seio de Maria, compreendeste a fraqueza humana... Recebe nossos sonhos e desejos e ilumina nossos passos para trilhar os caminhos do Amor, da Paz e da verdadeira Fraternidade. Amém! 

Benção:

D: O Deus, Fonte da Vida Nova, nos renove na alegria da Sua luz, agora e para sempre!

Todos: Amém!

Lucimara Trevizan

Equipe do site