• Banner interno

 pexels-shuvrasankha-paul-2616865.jpg

 

A barca da alegria

Faz-nos navegar, Senhor, na barca da alegria que largámos em algum lugar, oculta entre os ramos e a folhagem. Torna-nos disponíveis para as viagens longas, como sempre são as viagens do coração.

Que saibamos viajar pela rota das palavras reencontradas, das conversas reveladoras sem um mapa preciso, como as trajetórias dos pássaros, inesperadamente felizes. Faz com que ousemos compreender a maneira em que o Espírito ilumina o nosso presente, com os seus surpreendentes atravessamentos de portas fechadas e de incredulidades consolidadas.

Que nenhum ressentimento alente o vínculo que nos liga à memória do amor. Ajuda-nos a acolher a força tremula e fortíssima da Vida, que perdura em nós como um chamamento incessante.

Ajuda-nos a não menosprezar as nossas mãos vazias, mas a compreender que são remos para o nosso navegar entre espera e promessa. Ajuda-nos a não eliminar espiritualmente a pobreza, recordando-nos que a pertencemos a uma multidão de sedentos, de impacientes, de desejadores.

Mantém-nos distantes do tempo interrompido e obscuro em que experimentamos a negação de nós mesmos e de ti. Faz com que não nos esqueçamos que o teu amor é capaz de transformar em desejo incandescente as nossas ruinas, paralisias e desistências.

E no acolhimento deste amor, faz deflagrar em nós a força geradora da Tua Presença radiosa.

 
Card. José Tolentino Mendonça
In Avvenire
Trad.: Rui Jorge Martins
Imagem: pexels.com/ Shuvrasankha Paul

Publicado em 06.11.2020 no SNPC