• Banner interno

pexels-photo-547116.jpeg

Bem-aventurado – Feliz - Santo

1. Acolhida e abraço da paz

2. Refrão meditativo: Onde reina o amor, fraterno amor. Onde reina o amor, aí está.

3. Acolhendo a Palavra

Aclamação (à escolha)

Leitura Mt 5,1-12

4. Meditando a Palavra

“Jesus não declara que os bem-aventurados são os outros, os que não estão ali. Jesus olha para a multidão e começa a dizer: “bem-aventurados vós os pobres”, “bem-aventurados vós os aflitos”, “bem-aventurados vós os misericordiosos”. Que quer isto dizer? Que são, no fundo, as nossas pobrezas, fragilidades, aflições, mansidões, procuras e sedes que dão a substância da bem-aventurança, a matéria da santidade. É naquilo que somos e fazemos, no mapa vulgaríssimo de quanto buscamos, na humilde e mesmo monótona geografia que nos situa, na pequena história que dia a dia protagonizamos que podemos ligar a terra e o céu. Falar de santidade em chave cristã passou a ser isso: acreditar que a humanidade do homem se tornou morada do divino de Deus” (D. José Tolentino Mendonça).

5. Partilha (dois a dois)

Qual a matéria da santidade, segundo as bem-aventuranças? Como a catequese está anunciando essas bem-aventuranças ou esse “bilhete de identidade do cristão”?

- Após a conversa em dupla, partilha da reflexão com o grupo todo

6. Preces espontâneas...

7. Rezemos juntos: Bem-Aventuranças 

Foi então que tu me respondestes, Senhor:

Bem-aventurados os que no coração se reconhecem pobres, pois é deles tudo o que há-de-vir.

Bem-aventurados os que existem mansamente, pois a terra os escolherá para herdeiros.

Bem-aventurados os que rompem o acordo de implacáveis certezas,

Pois são outros os caminhos da consolação.

Bem-aventurados os que sentem, pela justiça, fome e sede verdadeiras: não ficarão saciados.

Bem-aventurados os que estendem largos gestos de misericórdia,

Pois a misericórdia os iluminará.

Bem-aventurados os que se afadigam pela paz:

Isso os torna filhos de Deus.

Bem-aventurados os que não turvam seu olhar puro,

Pois no confuso do mundo verão passar o próprio Deus.

(Pe. José Tolentino Mendonça).