• Banner interno

 
celcat.jpg
 

Acolhida

Hoje é dia de alegria: celebramos nossa missão de catequistas. Ouvimos a voz do Senhor que nos chamou a anunciar seu Amor, a mostrar o caminho de Luz e Verdade, a encontrar o verdadeiro sentido da vida para todos que se abrem à sua mensagem.

 

Ser catequista é uma vocação, é uma responsabilidade, é uma abnegação. Vamos refletir um pouco sobre a tarefa que o Senhor nos confiou.

 

Canto:

O Senhor nos chamou a viver, a viver a alegria do amor.

Foi teu amor que nos fez conhecer toda alegria da vida, Senhor.

Senhor da Vida, teu amor nos faz recomeçar.

Eu sei que a nossa vida é vida perdida pra quem não amar.

O Senhor nos chamou a viver, a viver como irmãos simplesmente.

Foi teu amor que nos fez conhecer que o próprio Deus vive a vida da gente.

Senhor da Vida...

 

Animador(a):

“Vinde a sós, para um lugar deserto e descansai um pouco”, disse Jesus a seus discípulos quando lhe contaram o que tinham feito e ensinado. Hoje, Jesus o diz a nós.

Vamos ler este trecho do Evangelho de Marcos:

 

Leitor(a) 1: Os apóstolos se reuniram junto de Jesus e lhe contaram tudo o que tinham feito e ensinado. Jesus lhes disse: “Vinde a sós, para um lugar deserto, e descansai um pouco!”

Havia, de fato, tanta gente chegando e saindo que não tinham nem tempo para comer.

Foram, então, de barco para um lugar deserto, a sós. (Mc 6,30-32)

 

Animador(a): Vamos imaginar que, neste momento, estamos junto do Senhor, para descansar e refletir sobre nossa missão de catequista. O seguinte texto pode nos ajudar a verificar como nós vivemos nossa vocação. As palavras de São Paulo foram dirigidas à comunidade de Corinto (1Cr 9,16-23).

 

Leitor(a) 2:

Anunciar o Evangelho não é para mim motivo de glória.

É, antes, uma necessidade que se me impõe.

Ai de mim, se eu não anunciar o Evangelho!

Se eu o fizesse por iniciativa minha, teria direito a uma recompensa.

Mas, se o faço por imposição, trata-se de uma incumbência a mim confiada.

Então, qual é a minha recompensa?

Ela está no fato de eu anunciar o Evangelho gratuitamente,

sem fazer uso do direito que o Evangelho me confere.

Assim, livre em relação a todos, eu me tornei escravo de todos,

a fim de ganhar o maior número possível.

Com os judeus, me fiz judeu, para ganhar os judeus.

Com os súditos da Lei, me fiz súdito da Lei, para ganhar os súditos da Lei.

Com os fracos me fiz fraco, para ganhar os fracos.

Para todos eu me fiz tudo, para certamente salvar alguns.

Por causa do Evangelho eu faço tudo, para dele me tornar participante.

 

 Animador(a): Vamos formar alguns pequenos grupos e partilhar o que entendemos desta leitura e como a vivemos na prática da nossa catequese, quais os pontos positivos, quais as falhas.

Depois da reflexão, podemos pôr em comum o que foi partilhado. (Tempo para reflexão)

 

Animador(a): O texto de Marcos continua:

Leitor(a) 3: Muitos viram partir Jesus e os discípulos para descansar. Saíram, então, de todos os lados e, a pé, correram à frente e chegaram lá antes deles. Ao sair do barco, Jesus viu uma grande multidão e encheu-se de compaixão por eles, porque eram como ovelhas que não têm pastor. E começou, então, a ensinar-lhes muitas coisas. (cf. Mc 6,33-34)

 

Animador(a): Quem são aqueles que correm atrás de nós para ouvir a mensagem? Nossos catequizandos? Seus pais? A comunidade? ( Nossa responsabilidade é grande!)

Cuidamos também da nossa própria formação como catequistas, a fim de poder anunciar em profundidade o Evangelho?  Que podemos fazer de concreto? (Breve reflexão)

 

(No final, pode haver um envio, feito pelo padre presente, e, se não estiver, pelo Coordenador(a) paroquial).

Vamos, primeiro, pronunciar nosso compromisso:

 

Todos:

Senhor, queremos comprometer-nos com a missão que tu nos confiaste:

anunciar a tua Palavra aos nossos catequizandos

e a todos que nos são confiados.

Saibamos preparar a terra, plantar, regar, colher

onde a tua graça quiser fazer germinar os frutos

do teu Reino de paz, amor e alegria. Amém.

 

Envio e Bênção.

 

Canto final:

Refrão: Deus que me criou, me quis, me consagrou, para anunciar o seu amor. (2x)

1. Eu sou como a chuva em terra seca: para saciar – fazer brotar. Eu vivo pra amar e pra servir. (2x)

   É missão de todos nós. Deus chama. Eu quero ouvir a sua voz. (2x)

2. Eu sou, sou profeta de verdade. Canto a justiça e a liberdade. Eu vivo pra amar e pra servir.

 

CONFRATERNIZAÇÃO

 

Inês Broshuis

Comissão Regional Bíblico-Catequética do Leste 2

01.08.2012