• Banner interno

                                                                                                 

É importante não esquecer que: a missão do crismado é ser cristão no mundo, no meio em que vive. Esse é o seu maior engajamento. 

“Mais do que o pós-crisma, o importante é investir na preparação dos crismandos para a vida,onde quer que estejam”. 

Ser cristão implica estar ligado à comunidade cristã. Isto quer dizer: a pessoa celebra sua vida e sua fé na Eucaristia; vive uma vida impregnada dos valores cristãos; aprofunda sua fé e seu seguimento a Jesus Cristo, através dos cursos de formação que a paróquia promove etc. 

A celebração do Sacramento da Crisma é ponto de partida para uma caminhada na vida e na fé cristã. A preparação precisa ajudar o jovem a se descobrir como cristão, a ser Igreja. É importante que os catequistas  cuidem para não sobrecarregar o jovem com um engajamento de  que ele não dá conta (não tem idade). A estrutura da comunidade paroquial precisa possibilitar diferentes engajamentos. Ao longo da caminhada crismal, o jovem pode conhecer a comunidade de que participa ou começa a participar.

poscrisma.jpg 

O pós-crisma 

A catequese necessita de uma equipe de catequistas que tenha objetivos claros. Será preciso planejar o que irá ser feito, verificar os passos que precisam ser dados, preparar quem irá assumir o trabalho, antes de iniciar qualquer coisa. Necessariamente o jovem não tem que se engajar em alguma pastoral ou movimento. O grupo de crismandos passou um ano juntos e criou laços.

Então uma das melhores saídas é: O grupo de Crismados continuar a se reunir.  

Mas, o jovem só irá voltar se a preparação da crisma foi bem feita, foi gostosa, se ele se sentiu sujeito, participante do processo. 

Condições necessárias:

Catequistas que fiquem de 3 a 6 meses junto com a turma que já se crismou, até que tenham condições de caminhar sozinhos. 

- Os conteúdos dos encontros precisam ser outros, diferentes do período de preparação para a crisma e podem aprofundar conteúdos já refletidos; os assuntos podem ser planejados com a turma.

- Outros catequistas podem ser preparados para assumir especificamente a turma após a crisma. Sobrecarregar os catequistas com duas turmas não dá certo.

- A paróquia precisa acolher esse “novo grupo de jovens” que nasce, e a catequese, acompanhar o grupo, para que o grupo cresça e caminhe sozinho.

- A coordenação da catequese de crisma de foranias e/ou diocese pode ajudar preparando catequistas das paróquias especificamente para o pós-crisma. Também poderia fazer subsídio orientando e dando sugestões de conteúdos, organização etc.

Outras idéias práticas:  

-   Marcar um encontro e convidar os crismados. Os convites devem ser entregues pessoalmente; além disso, o padre poderia convidá-los nas missas. Melhor ainda, já ter o pós-crisma “preparado” e, antes da celebração da crisma, fazer o convite.

-   Esse primeiro encontro precisa ser bem dinâmico e celebrativo.

-   Apresentar e ouvir sugestões do grupo para continuarem a se reunir. Deixar o grupo discutir sugestões.

-   Se necessário, marcar outro encontro e definir uma ou duas propostas. Apresentar também sugestões para estudo e aprofundamento do grupo.

-   Incentivar os crismados que queiram se engajar na catequese e outras pastorais. 

Outras Sugestões:  (estas poderiam ser adaptadas à sugestão anterior)

 -Fazer encontros mensais, onde seriam debatidos, conversados, assuntos de interesse dos jovens.

- Encontros onde haja brincadeira, muita conversa, estudo e oração.

- Investir em atividades esportivas. Jogos coletivos como futebol e vôlei são os mais pedidos.

- Organizar campeonatos, gincanas, passeios ecológicos etc.

- Organizar retiros.

- Gincanas com tarefas beneficentes e instrutivas, competições esportivas e brincadeiras que levassem o jovem a tomar gosto pela vida em fraternidade, a alegria de viver em grupo e a vontade de colocar em prática o projeto de vida de Jesus.

- Formar grupos de teatro para encenações durante as missas ou ocasiões especiais, para crianças da catequese, para asilos etc.

- Envolver a Pastoral da Juventude no processo posterior à crisma (quando estiver organizada).

- Fazer visitas a pastorais para conhecer melhor o trabalho realizado pela comunidade.

- Organizar grupos de estudos para aprofundamento, como por exemplo, estudos bíblicos. Há muitos jovens que demonstram interesse em aprofundar mais o conhecimento sobre a Bíblia.

- Há muitos jovens que demonstram interesse em realizar serviços voluntários: visitas a asilos, ajudar os mais necessitados, ajudar as crianças abandonadas, visitas aos doentes etc.

- Reuniões recreativas na casa de um crismado, para assistir filmes e comemorar aniversários.

- Um grupo de Crismados poderia ser um grupo de apoio à catequese da crisma. Por exemplo, no início da preparação receberiam os crismandos com músicas e brincadeiras. Em dias de retiros, de encontros, poderiam organizar horas de lazer, o lanche, os cantos, uma oração, um teatro etc.

- Um grupo de Crismados poderia ser apoio na catequese com adolescentes (que fizeram ou não a primeira eucaristia), criando grupos de teatros, música e lazer.

- Promover festivais de músicas e envolver os jovens da paróquia. Etc. 

Tudo irá depender de uma equipe de catequistas mais bem preparada e organizada. Um grupo que sabe o que quer e o que está fazendo, tenta ir melhorando o processo catequético. Não há perfeição, mas é possível melhorar a catequese que fazemos a médio e longo prazo, envolvendo os jovens nessa caminhada. Tudo para que os crismados assumam o Ser Cristão e gostem de viver em comunidade.

Lucimara Trevizan

Equipe do Catequese Hoje