DSCN3451.JPG

Nesse ano que se inicia teremos uma nova oportunidade para viver dentro da vontade de Deus, desfrutando de sua comunhão e companhia. E nada melhor do que começar o ano com comprometimento de maior encontro com Deus através de sua Palavra. Neste sentido, enquanto método, a Igreja nos apresenta a Lectio Divina ou Leitura Orante da Palavra de Deus, método que nos proporciona uma grande riqueza espiritual, podendo ser feita individualmente ou em grupo. Em grupo, temos como ponto de acréscimo a riqueza da partilha, que ajuda no crescimento espiritual de cada participante, porque a experiência da outra pessoa se torna aprendizado e enriquecimento espiritual, para cada membro presente no encontro.

Mas, o que é Leitura Orante da Palavra de Deus? É uma prática muito antiga na Igreja, mas que ficou por muito tempo desconhecida pelos cristãos. Atualmente, ela voltou a florescer e está novamente ocupando seu lugar na Igreja, nas casas religiosas, nos cursos bíblicos, nas famílias e é praticada também individualmente pelo Povo de Deus em geral. Trata-se de uma reflexão sobre um trecho da Sagrada Escritura e, em geral, pode-se fazê-la sobre as leituras da liturgia do dia, conforme as circunstâncias ou preferências. Ela é feita em passos que se alternam durante a oração-meditação, que nos levam à conclusões pessoais, espirituais e à prática das virtudes sugeridas pelo texto, como também pelas inspirações divinas.

O Concílio Vaticano II recomenda, com grande insistência, a Leitura Orante da Palavra de Deus, quer pela piedosa leitura, quer por cursos apropriados (cf. Dei Verbum nº 25). O Documento de Aparecida (cf. nº 247;249) e as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (cf. 2008-2010, n°6) destacam a Leitura Orante com seus cinco passos: Leitura, Meditação, Oração, Contemplação e Ação, como um meio privilegiado de encontro pessoal com Jesus Cristo. Os documentos ainda incentivam a prática dos Grupos Bíblicos de Reflexão, dos Círculos Bíblicos e das reuniões de grupos. A Pontifícia Comissão Bíblica ensina que a Leitura Orante corresponde a uma prática antiga da Igreja (A Interpretação da Bíblia na Igreja, cap. IV). E por fim, ensina o Sínodo da Palavra, realizado em Roma, nos dias 05 a 26 de outubro 2008, que “o método mais prático de acesso à Bíblia é a Leitura Orante”.

Enquanto passos vemos o seguinte:

1º Passo: Leitura do texto. É uma leitura lenta e atenta da Palavra de Deus. É escutar e conhecer bem o que diz o texto;

2º Passo: Meditação. O que o texto diz para mim? Ruminar, mastigar, guardar na memória. Meditar é guardar no coração e deixar-se amar;

3º Passo: Contemplação. O que o texto me leva a experimentar? É saborear, degustar, deixar-se envolver pela Palavra. É silenciar, estar quieto, em descanso sob o olhar amoroso de Deus. Sentir-se tocado, envolvido, amado, aceito, acolhido, perdoado, pacificado. Permanecer na presença, em receptividade, atenção amorosa nos braços do Pai. Dar espaço para Deus, para o irmão e a realidade da vida, afetivamente. Toda contemplação é para ser comunicada e vivida, em vista da transformação pessoal, comunitária e social;

4º Passo: Oração. O que o texto me faz dizer para Deus? Ouvir, agradecer, pedir. É conversar com Deus e ouvir os Seus apelos;

5º Passo: Ação. O que o texto me sugere a viver? A escuta da Palavra de Deus nos leva também a assumir um compromisso com a realidade. Foi isso que fez Moisés quando ouviu o chamado do Senhor e se colocou a serviço para a libertação do povo de Deus, que era escravo no Egito. Assim agiram os Profetas que foram chamados, escutaram o convite do Senhor, denunciaram as injustiças e anunciaram a mensagem de Deus. Temos tantos outros exemplos na Sagrada Escritura, sem nos esquecermos de Maria, a mãe de Jesus. Quando ela escutou a Palavra vinda de Deus, por meio do Anjo Gabriel, ela humildemente se colocou a serviço respondendo: “Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a Tua Palavra” (Lc 1,38).

Infelizmente a maioria dos cristãos creem que estão “ocupados demais” nos seu dia-a-dia, para revigorarem a mente e o coração com a Palavra de Deus. O que não percebem é que ter tempo é uma questão de prioridade e preferência, e que a longo prazo, um momento orante não custaria nada, pois o restante do dia será com certeza mais proveitoso, do que negligenciar a leitura bíblica. Deus deixou sua Palavra, a Sagrada Escritura, e por meio dela viesse a alimentar-se espiritualmente. Da mesma forma como Deus enviava o pão dos céus aos israelitas quando peregrinavam em direção à terra prometida, hoje o Senhor continua enviando alimento espiritual, através de sua Palavra enquanto peregrinamos nesta terra em direção ao Reino dos Céus. Que Deus abençoe este ano e que tenhamos ricas experiências da Leitura Orante da Palavra de Deus.

Fernando Acácio de Oliveira