• Banner interno

Sou eu / Espelho da lendária criatura / Um monstro /Carente de amor e de ternura
O alvo na mira do desprezo e da segregação / Do pai que renegou a criação
Refém da intolerância dessa gente / Retalhos do meu próprio criador
Julgado pela força da ambição / Sigo carregando a minha cruz / a procura de uma luz, a salvação!

Estenda a mão meu senhor / Pois não entendo tua fé / Se ofereces com amor
Me alimento de axé / Me chamas tanto de irmão / E me abandonas ao léu
Troca um pedaço de pão / Por um pedaço de céu

Ganância veste terno e gravata / Onde a esperança sucumbiu
Vejo a liberdade aprisionada / Teu livro eu não sei ler, Brasil!
Mas o samba faz essa dor dentro do peito ir embora
Feito um arrastão de alegria e emoção o pranto rola
Meu canto é resistência / No ecoar de um tambor / Vêm ver brilhar
Mais um menino que você abandonou

Oh pátria amada, por onde andarás? / Seus filhos já não aguentam mais!
Você que não soube cuidar / Você que negou o amor / Vem aprender na beija-flor 

 

Linda letra e melodia da Escola de Samba Beija-Flor do Rio de Janeiro 2018. Uma crítica a uma Pátria corrompida que abandona seus filhos, reféns da intolerância, da ganância e da corrupção. Os filhos dessa pátria são capazes de fazer da dor um samba e com beleza e arte fazer ecoar seu grito de indignação.

Ótima música para ser utilizada em encontros catequéticos sobre a realidade atual, sobre a sociedade brasileira.

Equipe do site